O surgimento da adubação orgânica teve o seu inicio na china, na região do Rio Amarelo, há 8 mil anos A.C. Os chineses produziam os adubos com resíduo vegetal ou de animal, húmus dos rios e até mesmo esterco humano.

No Egito antigo, 600 anos A.C. com as cheias dos Rio Nilo eram depositadas em suas margens uma camada de húmus (Húmus ou humo, do termo latino húmus, é a matéria orgânica depositada no solo, resultante da decomposição de animais e plantas mortas, de seus subprodutos ou produzida por minhocas), uma camada de mais de 20 m de profundidade, com 15 km de largura e aproximadamente 800 km de extensão. Neste período eram utilizados para a cultura de cevada, trigo e lentilha.

Outros povos também procuravam métodos para melhorar os processos das culturas e os povos da região Andina (países da América do Sul atravessados pela Cordilheira dos Andes), grandes agricultores na época, desenvolveram técnicas sofisticadas de adubação. Construíam a sua área agrícola em terraços com camadas de terras com 1 metro de profundidade. Também existiam terraços com mais de 3 metros de altura, neste caso eram criados com pedras encaixadas sem nenhum tipo de argamassa e recolhidas dos vales dos rios e retificados.

Uma outra evidência da expertise agronômica dos povos dos Andes estava em empregar nos plantios o guano, material rico em fosfato de cálcio, ureia e sulfato de sódio e potássio, todos resultantes da mistura de fezes e restos de aves marinhas que originavam do litoral do oceano pacífico.

A adubação orgânica começou a ser vista como negócio somente na Idade Média, na Europa, mais precisamente na região entre a França, Bélgica e Holanda, também conhecida como Flandres. Esses agricultores adubavam suas culturas com esterco animal, lixo humano e até mesmo lodo de esgoto. O consumo foi tal que as cidades da região foram consideradas as mais limpas da Europa.

A adubação com esterco animal ficou tão popular no continente, que a matéria prima ficou escassa e só aí, a primeira fábrica de fertilizantes surgiu na Inglaterra em meados de 1843.

Adubação Orgânica na Faz Verde

O tempo passou mas a adubação orgânica é uma tendência no mundo e o Biólogo da Faz Verde, Felipe Pedrazzi fala neste vídeo como é o processo nos condomínios atendidos pela empresa.

Implementar um processo adequado de adubação orgânica em sua casa, empresa ou condomínio, além de garantir a destinação correta dos resíduos orgânicos, desenvolvemos a sustentabilidade, economia e contribuímos para que o ambiente seja preservado.

www.fazverde.com.br

#adubacao #aduboorganico #adubacaoorganica #adubacaoorganicaparahorta #aduboorganicoparahorta #fazverde #jardinagem #sorocaba #felipepedrazzi

ref.
https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/8048/2/Textual%20-%20Ufba.pdf
https://pt.wikipedia.org/wiki/H%C3%BAmus

1 comentário

  1. Pingback: Plantio de árvores: 8 dicas valiosas para o plantio correto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *